Não vos vou falar de sonos interrompidos, nao.

Vou simplesmente contar-vos um episódio super simples que acabou por ser bastante interessante.

Mas primeiro vou pedir-vos para imaginar o que o vosso bebé faria se estivesse sozinho no meio da casa e tudo silencioso.

Estranho, eu sei. Mas tentem imaginar.

Será que chamava por ti?

Será que começava a chorar?

Será que ia “atacar” o frigorífico?

Claro que a idade do bebé também influencia bastante, mas o sucedido foi com os 16 meses fresquinhos do meu filho.

Foi num regresso a casa comum de domingo, em que como era de prever o filho mais velho adormeceu pelo caminho, pois tinha acordado cedo e não dormira a sesta, mas o pequenito não.

O pai deitou o mais velho e eu trazia o baby ao colo quando ainda nos encontrávamos no corredor e ele pede-me “maçã”- fez o gesto, pois ainda não verbaliza ( Programa Baby Signs).

Pensei porque estaria a pedir maçã naquele momento do dia enquanto olhava em meu redor e… Tchanam…pois claro, ele viu as maçãs que estavam em cima da mesa da cozinha e queria comer.

Mas ele tinha jantado pouco tempo antes e bem, não teria fome, então expliquei-lhe que naquele momento era hora de ir dormir, podia comer no dia seguinte.

Aceitou e fomos tratar se prepará-lo para dormir.

Deixei-o na cama ao lado do pai para que eu pudesse ir adiantando as preparações para o dia seguinte.

Mas o pai adormeceu e o filho desceu da cama. 😁

Ouvi uns passinhos pequeninos e escondi-me para ver o que iria fazer, provavelmente estaria à minha procura.

Veio direitinho à cozinha!

Pensei logo nas maçãs.

E era, se ele tivesse chegado lá, mas assim largou a chucha na mesa e apanhou um pedaço de pão torrado.

Com o pão na mão foi espreitar o quarto onde dormia o irmão, depois a sala e voltou para o corredor sentando-se à frente do espelho e assim roia o pedaço de pão.

Segundos depois, levantou-se e foi espreitar novamente o quarto deles e depois o nosso, sempre com o pão na mão e de forma silenciosa. Só se ouviam os passinhos pela casa.

Voltou para o corredor e sentou-se quase na outra ponta, encostado à parede a roer o pão.

E manteve-se ali uns minutos.

Fiz uma certa ginástica para vê-lo e ele não me ver, sobretudo para não o assustar, mas consegui.

Estava a ficar com sono.

Ele apercebeu-se do seu nível de sono, levantou-se, colocou novamente o pão na mesa e recuperou a chucha.

Foi direito ao quarto deles e deitou-se na sua cama.

Esperei uns segundos e pé ante pé la fui eu espreitá-lo, ver se já dormia.

E dormia se não tivesse tocado o telemóvel do pai naquele preciso momento e eu não fosse apanhada a espreitá-lo. 😂

Tirando o “final” controverso, foi uma experiência muito interessante.

Vê-lo tranquiloo, desenrascado…e vê-lo a ter noção que era melhor ir para a cama. Foi fantástico!

Tenham um bom dia!

Eliane Félix

 

 

Categorias: Infância

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.