Esta manhã, enquanto tomávamos o pequeno-almoço surgiu esta pergunta:

– “Quando vais morrer mãe?”

Simplesmente respondi que não sabia, que ninguém sabe.

Acrescentei que é por isso que as mães ensinam o mais que podem para que os filhos saibam fazer as coisas quando as mães não estiverem cá.

E ficámos por aqui. Não houve mais perguntas. Não houve mais respostas.

Não questionei o porquê da pergunta, limitei-me a responder.

Este tema – a morte – é um assunto delicado, sobretudo quando abordado por uma criança, mas não podemos esquecer que é algo natural, que mais cedo ou mais tarde acontecerá.

Depois de ser mãe passei a desejar que o DIA  chegue o mais tarde possível, que esta VIAGEM não termine depressa, para puder ver os meus filhos crescerem e eventualmente ter netos.

Mas sabemos que podemos fazer pouco ou nada em relação a isso, não temos hipótese de escolha.

Cabe-nos aproveitar o melhor que pudermos enquanto cá estamos e passar aos filhos os valores e ideais que defendemos.

Tenham um bom dia!

Eliane Félix

 

 

Categorias: Infância

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.